É comum que com o passar do tempo e evolução de nossas carreiras, chegue o momento em que o acumulo de conhecimento e experiência, nos leve a uma posição de gestão e liderança. E é exatamente nesse momento que algo, normalmente inesperado, pode ocorrer: As coisas não funcionam tão bem quanto funcionavam antes. As reuniões One on ones podem resolver essa questão.

Neste artigo, vou mostrar uma ferramenta para desenvolver o relacionamento de líderes e sua equipe, de forma a impulsionar a performance do time todo. Confira:

Desenvolver pessoas, um dos grandes desafios da gestão

As novas atribuições trazidas pelo cargo de liderança podem demandar o que a excelência técnica, sozinha, não mais consegue fornecer. Nesse momento, o sucesso do projeto não depende apenas de você. Agora você possui uma equipe que nem sempre é homogênea, que possui problemas, características próprias e individuais, e que precisa estar em consonância para que o resultado seja de qualidade.

Rothman e Derby, em seu livro Behind the Closed Doors, comentam que “Algumas pessoas acreditam que a gestão não importa. Que uma equipe de qualidade irá, independentemente de uma boa gestão, produzir resultado de qualidade”.

Para em seguida, obviamente, discordar da afirmação acrescentando que: “Maus gerentes criam a ilusão de produtividade em função de o quanto ocupado estão, gerentes medianos entregam o trabalho (mas nem sempre o correto) ” e, por fim, “grandes gerentes entregam os resultados e desenvolvem pessoas”.

Eu realmente acredito (e gosto de compartilhar com as equipes que lidero) que um grande – e real – líder emerge por reconhecimento da equipe, nunca por uma posição ou cargo. Sempre acreditei que se, no papel de líderes, garantíssemos que impedimentos fossem retirados, problemas resolvidos com diligencia e a equipe se mantivesse focada e motivada, o sucesso do projeto seria inevitável.

Ok. Seria fantástico se fosse simples assim, mas um grande problema existe no caminho: Quais são os reais impedimentos, problemas, e o que motiva (ou desmotiva) cada indivíduo pertencente à equipe?

Penso que, nessa hora, um gerente que acredita somente em sua excelência técnica, tenderá a acreditar que os impedimentos se resumem a fatores técnicos, muitas vezes associando-os desde a falta de foco ou dedicação, até a incompetência da equipe.

One-on-one meetings

A reunião de one-on-one tem o objetivo de construir relacionamentos verdadeiros, garantir que a liderança não se resuma à gestão de atividades e pessoas de uma equipe, mas sim saber quem são essas pessoas e como maximizar sua performance ao executarem o trabalho, construindo um time mais forte e coeso.

Abaixo descrevo alguns pontos que acredito serem direcionadores para a realização de uma boa reunião:

Agende:

As reuniões devem ser recorrentes no calendário. Não é algo a ser feito “quando der tempo”, lembre-se o objetivo é criar relacionamentos. Um compromisso sagrado no calendário mostra às pessoas o quão são importantes. Imprevistos acontecem, então reagende, mas nunca desmarque.

Relacionamentos são construídos através da convivência. É recomendável que as reuniões sejam agendadas semanal ou quinzenalmente.

Tempo:

Algumas pessoas gostarão (ou precisarão) de falar um pouco mais que outras, mas para uma reunião objetiva e eficaz, a reunião deve respeitar um período médio de 30 minutos.

Eventualmente, não há problema se uma reunião durar um pouco mais que isso, especialmente se algo delicado ou muito importante estiver sendo discutido.

Um formato sugerido para a reunião é:

  • 10 minutos para o liderado
  • 10 minutos para o líder
  • 10 minutos para falar dos próximos passos

Esteja presente:

O objetivo é construir relacionamentos e elevar a moral da equipe, se o líder não estiver totalmente presente na reunião, a relação de confiança nunca será construída.

Desligue seu telefone, mostre que aquele tempo é importante e precioso.

Escute

A reunião de one-on-ones é para o liderado, então é muito importante que ele seja ouvido.

Geralmente começo minhas reuniões perguntando: “E aí como estão as coisas?”.

Dê a oportunidade para que a pessoa se sinta livre para falar o que sentir necessário, não há uma pauta.

Evite interrupções, deve haver um bom balanço entre fazer as perguntas necessárias e dar o tempo necessário para que sejam respondidas.

Certamente você irá se surpreender com quantos problemas podem ser descobertos, antes que se tornem algo grande. E nesse momento, problemas alheios às questões técnicas de um projeto podem ser descobertos e tratados.

O objetivo é que os feed-backs coletados sejam usados para melhoria continua do relacionamento, motivação e consequentemente da performance da equipe.

Tome Notas:

Como toda reunião, é importante que se tome notas dos principais pontos e ações a serem tomadas. Se o objetivo é estabelecer um relacionamento verdadeiro, esquecer algo que tenha sido combinado pode descontruir toda a relação de confiança com o liderado.

Dê preferência para notas escritas à mão, o uso do computador pode tirar o foco e atenção da reunião.

Seja positivo

Acredite no poder que um bom relacionamento trará para o trabalho. Crie empatia com as pessoas, seja positivo e demonstre gratidão.

Benefícios das reuniões One on Ones:

  • Estreitar os relacionamentos e realmente conhecer as pessoas
  • Descobrir problemas enquanto eles ainda estão pequenos.
  • Endereçar problemas já existentes
  • Reconhecimento
  • Evoluir a carreira dos colaboradores.

Concluindo, a reunião de one-on-ones pode ser uma das ferramentas mais poderosas que um gestor pode ter, pois ela se trata de conhecer as pessoas. Utilize bem esse tempo e descubra talentos existentes em sua equipe, ajude a desenvolver novos talentos e construa equipes poderosas.

Uma boa gestão pode transformar qualquer equipe em uma grande equipe.