Luis Lourenço (CEO das Startups Plug CRM e Hirebot) facilitou um dos encontros do Grupo Geir COM Pessoas ao compartilhar um pouco sobre como as inovações tecnologicas podem impactar o mercado de RH, no dti place! Eu participei do encontro e vou contar um pouco do que rolou!

Faço parte da equipe de RH da dti, aqui somos constantemente desafiados a inovar e trazer a melhor experiência para os candidatos e colaboradores. Os encontros do Grupo são um momento sensacional de aprendizagem, que trazem vários insights aplicáveis no meu dia a dia.

O contexto atual foi discutido para embasar o aprendizado através de 5 tópicos:

  • Vida nas grandes cidades;

  • Uso da tecnologia;

  • “Efeito Google” – possibilita obter informações imediatas sobre qualquer tema;

  • Cinco gerações trabalhando lado a lado e compartilhando culturas, habilidades, e interesses distintos;

  • Consumo de redes sociais (disponibilização e consumo de conteúdo)

Tendo esse contexto como base, seguimos pensando em como a área de RH pode se reinventar. Não apenas baseado em testes de personalidade e na plataforma Linkedin como meio de recrutamento, mas cuidando da experiência das pessoas.

Através de pesquisas realizadas e trazidas pelo facilitador, foi diagnosticado que:

recrutamento ideal = toque humano + inovações tecnológicas

Sendo assim, pode-se perceber que a tecnologia não retira as pessoas do mercado de trabalho, apenas as força a ser mais qualificadas para o futuro.

Uma inovação tecnológica que também foi discutida é a Inteligência Artificial. O trabalho repetitivo é extinguido, economizando tempo e rotinas que poderiam estar sendo feitas por pessoas. Um exemplo dessa inteligência artificial é o chatbot (chat + robô) – confira um exemplo de aplicação do chatbot aqui – . Essa tecnologia é cientificamente comprovada ser aceita por 15% do público brasileiro, como se fosse uma troca de mensagens de texto com uma outra pessoa.

Com a utilização dessa tecnologia, podemos otimizar aspectos dos processos de recrutamento e seleção, como a triagem de currículos. Isso pode ser feito através de uma conversa com o candidato, onde ele responde a perguntas essenciais para o recrutador e, a partir disso, o chatbot já realiza a triagem.

Esse tipo de trabalho economiza tempo e minimiza esforços, automatizando em 70-80% as atividades dos recrutadores.

Um outro exemplo é o blockchain (rede que funciona com blocos encadeados muito seguros, que sempre carregam um conteúdo junto a uma assinatura digital). Essa rede pode realizar cruzamento de dados das redes sociais dos candidatos com as Big Five Personality Traits. Isso torna o recrutamento mais tecnológico e ágil. Além de  avaliar mais assertivamente o alinhamento de valores entre o candidato e a empresa.

Já imaginou a junção do chatbot e blockchain? O chatbot realizando perguntas técnicas específicas para triagem. E o blockchain cruzando informações disponíveis na rede e descrevendo a personalidade do candidato. Isso tudo acrescido de entrevistas via Whatsapp / Skype / Hangouts? Incrível não é?

Isso tudo já é possível e está sendo utilizado por algumas empresas e startups!

Logo, pouco depois da escrita deste texto, esse método poderá ser considerado um modelo de recrutamento e seleção até mesmo ultrapassado. E aí, você está preparado para essas mudanças?

Quer aprender na prática com usar o RH para impactar o seu negócio? Em agosto vai rolar o RH Experience, organizado pelo grupo Gerir com Pessoas. O evento vai inspirar e apoiar os profissionais de RH e Gestão com Pessoas a trazerem um novo conceito de fazer gestão do RH construído em conjunto pelos participantes!

Ficou curioso?! Saiba mais!